julho 2024
D S T Q Q S S
 123456
78910111213
14151617181920
21222324252627
28293031  
Acesse o Sudoeste Hoje via Mobile em qualquer lugar!
leitores online


:: ‘Quentinhas’

VAI SECAR O CATOLÉ?

ITAPETINGA: Parece brincadeira, mas o desinformado governador da Bahia está querendo represar o Rio Catolé, na sua nascente em Barra do Choça, para abastecer Vitória da Conquista, esquecendo-se de Itapetinga, que é abastecida pelo já sofrido rio. Com o ritmo de crescimento de Conquista, vai chegar o dia em que a barragem do Catolé também não vai ser suficiente, e aí estaremos ferrados. Quem demonstra ter juízo e conhecimento da nossa região é o prefeito de Conquista, Guilherme Menezes, que defende a construção da barragem no Rio Pardo, como solução definitiva para o grave problema de abastecimento da capital do sudoeste. O nosso consolo é que as promessas de Wagner nunca vingam. Aff!

 

FICOU PIOR

Tentando salvar a pele do inoperante prefeito Zé Carlos, o deputado Rosemberg foi à rádio para tentar explicar o que não tem explicação e se deu mal. Demonstrando nervosismo e uma elevada dose de arrogância, Rosemberg atacou o Ministério Público e foi grosseiro, deselegante e leviano com a promotora Genisia Oliveira, que cumpre apenas o seu dever e resgata a dignidade do MP local, que andava meio desacreditado. Se a intenção do deputado era aliviar o lado de Zé Carlos, deu com os burros n’água, pois a sua desastrosa entrevista só fez piorar a situação do réu. Daqui prá frente, é melhor continuar com Renan da Comutran como ‘advogado’ de defesa, pois este foi até mais convincente que o deputado, na defesa do seu emprego.

PAGANDO CARO

O preço a ser pago pelo prefeito Zé Carlos em virtude da sua falta de preparo, descaso para com coisa pública, irresponsabilidade, inaptidão para o trabalho e excesso de confiança no seu intolerável e mal intencionado irmão, tem valor definido. Vai ter que devolver aos cofres públicos, do seu próprio bolso, nada menos que R$ 1.536,675,00, referentes aos valores desviados através do contrato com a Bernardo Vidal e a multa em dobro prevista em lei. Isto sem contar as custas do processo, correção, etc… Lembra que eu avisei?

GATO ‘PINTADO’

 

Totalmente desconhecido nos meios políticos locais, o chefe atual da Comutran de Itapetinga tem surpreendido a todos pela sua disposição em atacar os adversários do prefeito Zé Carlos. Sempre que tem oportunidade, Renan Gusmão passa a mão nos microfones e deita falação, atirando para todos os lados. Já usou seus 10 minutos de fama na ‘Tribuna Livre’ da câmara de vereadores, foi a vários programas de rádio e fez até discurso político inflamado, em defesa do prefeito, no comício improvisado na porta da prefeitura, para entrega de coletes aos moto-taxistas “mais chegados”. Como ninguém conhecia o rapaz, tá todo mundo estranhando os seus arroubos, achando que ele foi “contaminado” pelas maluquices do seu mentor Romildo Teixeira. Como diz um velho ditado, “tem gente que nem é gato e já pensa que é pintado”. Quéta Renan…

FOI FORMATAR E NÃO VOLTOU

Estão dizendo por aí que alguns equipamentos da Secretaria do Desenvolvimento Social estão sendo ‘aliviados’ por gente que não tem respeito ao patrimônio público. Falam até de computadores que deram uma ‘saidinha’ para serem ‘formatados’ e não voltaram ao serviço, há tempos. É bom que o secretário ou a sua patroa, a primeira dama, resolvam logo esta pendenga, antes que os sórdidos detalhes desta história ganhem as ruas, ou os palanques. Se não for verdade, podem desmentir aqui mesmo, pois a nossa audiência é bem maior e mais confiável do que a da imprensa oficial. Eu ‘agarantio’…!

VICE DE ZÉ CARLOS É O VASCO?

Sou vascaíno desde menino e fiquei chateado com a especulação que andam fazendo na internet, dando conta de que o vice da chapa de Zé Carlos será o meu querido e glorioso Vasco da Gama. Isto só deve ser sacanagem dos flamenguistas da oposição, que vivem denegrindo a imagem do meu time. Mas eu tenho uma sugestão melhor para aqueles Zé Carlistas que ainda têm um “Tiquinho” de esperança em vencer a próxima eleição, embora a tarefa seja praticamente impossível: em vez do Vasco da Gama, porque não o Cabral?

VEREADOR DO PARAGUAI

Uma brincadeira tomou conta dos meios políticos de Itapetinga, depois que o vereador Marcos Gabrielli decidiu ficar a favor do grupo da prefeitura, contrariando a orientação da direção municipal do PT, que rompeu com Zé Carlos e apoia o pré-candidato Miraldo Mota. De petista “autêntico”, Marcão passou a ostentar o título de “petista do Paraguai”. Para piorar ainda mais a gozação dos seus ‘companheiros’, o principal assessor do ‘genérico’ vereador é o ex-comerciante conhecido como “Luiz do Paraguai”. Será mera coincidência?

A BRONCA DE ROSEMBERG

Durante a sua entrevista, por telefone, no programa de Amaral, Rosemberg não conseguiu esconder que está chateado com a sua antiga turma do PT. Recomendou que os velhos companheiros baixassem a guarda e decretou um verdadeiro ‘voto de silêncio’ em relação à imprensa. Daqui prá frente ninguém pode declarar mais nada sobre o racha no partido. Será que Miraldo e seu grupo vão cumprir a ordem do chefinho? Tenho lá as minhas dúvidas…

CALA A BOCA, JOÃO MONTE!

Quem tomou um pito bem tomado de Rosemberg, foi João Monte, que falou pelos cotovelos no programa de Amaral, dizendo, inclusive, que se o candidato do PT não fosse Zé Carlos, ele e sua turma apoiariam a candidatura de Dr. Arnaldo, pré-candidato do PR. Rosemberg ficou ‘retado’ com João Monte e o ‘finado’ Valdeir, que chamaram o seu partido de ‘Petêzinho’, nas suas entrevistas no rádio. Bem pregado…

VOLTA PRÁ CASA, ISRAEL!

Outro recado bem dado pelo deputado petista foi mandar o consultor Israel Miranda, um verdadeiro ‘cão chupando manga’, de volta para casa. Pode até ser que Israel saia mesmo de cena, para enganar a torcida, mas já está tudo certo que ele continua dando as cartas, na moita, como é do seu feitio. Pelo visto, faz que sai, mas não sai. Afinal de contas, quem irá ‘aprovar’ as complicadas contas de Zé Carlos no TCM senão o conhecido ‘homem da mala’?

 

JOGO À LUZ DE VELAS

Com a decisão da Secretaria Municipal de Esportes de não permitir que os refletores do Estádio Primavera sejam acesos durante os jogos do campeonato municipal, os torcedores tiveram a ‘brilhante’ ideia de levar velas ao estádio, no próximo domingo, em sinal de protesto contra a mancada dos cartolas da prefeitura. Sanbendo disto, donos de vendas e mercadinhos dos bairros da cidade já estão repondo o estoque de velas nas prateleiras, para não frustar os torcedores. Compre a sua e compareça ao Primaverão, na próxima rodada. Vai ser ‘porreta’!

COMEÇOU A PIRRAÇA…

Acordei tarde com uma barulheira danada nos meus ouvidos. Levantei rápido e fui até a porta de casa para ver o que estava acontecendo e estranhei o que vi: um carro com um som altíssimo, tocando uma espécie de pagode, funk ou rap, sei lá, bem em frente da casa do prefeito (meu vizinho), cuja letra da música dizia “é a primeira dama, a mulher do patrão…ela é uma patricinha…” etc, etc. Gosto e sou adepto de uma boa gozação política, mas condeno veementemente este tipo de pirraça, principalmente quando envolvem familiares dos agentes agentes políticos e candidatos, embora reconheça que em época de campanha eleitoral, as gozações são inevitáveis.

OS DEPUTADOS BAIANOS E SEUS FANTASMINHAS

O renomado jornalista político Samuel Celestino, através dos brilhantes comentários postados no Bahia Notícias, destrincha o esquema montado pelos deputados baianos (não só eles) para se beneficiarem com as famosas ‘verbas de gabinete’, via funcionários fantasmas e laranjas, que culminou na ‘Operação Detalhes’ que investiga o deputado estadual Roberto Carlos (PDT).  Vale a pena conferir os comentários intitulados ‘Operação Detalhes – Verba de Gabinete”, aqui nas ‘Quentinhas’ ou no próprio BN. Confira e comente.

VERBA DE GABINETE 1

O que fez o deputado Roberto Carlos, do PDT, senão seguir os procedimentos de há muito generalizados na Assembleia Legislativa? Os “malfeitos” geraram malfeitores de há muito. A regra era e é simples: a famosa verba de gabinete que cada parlamentar recebe tem a serventia que a imaginação alcançar: contratar funcionários, trabalhem ou não, rateá-la com o maior número de funcionários de tal maneira que, juntos, não cabem nos espaços dos gabinetes, gerando, por consequência, os “fantasmas”, ou concentrá-los em número menor. Quando assim acontece remunera-os com salários maiores. A verba é fixa. Contratando oito, o deputado Roberto Carlos conseguiu a divisão dos pães, mas, quem prefere um maior número, passa a sacolinha  recolhendo parte da remuneração, algumas vezes mais do que a metade, de quem foi “beneficiado” com o emprego. Depende da voracidade do parlamentar ou, como dizem, os gastos efetuados nas campanhas eleitorais. Porque a explicação é a mesma: ajudar na campanha do partido.

VERBA DE GABINETE 2

A direção da Assembleia Legislativa tem conhecimento da forma e da prática. Quando questionada – isso quando havia questionamento – a resposta é, ou era, sistematicamente a mesma: esta verba é do parlamentar. Ele a usa conforme a sua necessidade. Roberto Carlos foi pinçado por uma dessas circunstâncias: ter nome de cantor, entender o procedimento como “detalhes” ou se assemelhar a um Tiririca do Nordeste. E o que farão os deputados agora que a Polícia Federal passou a agir? Demitir os funcionários em “excessos”? Lançar a sacolinha com a qual recolhem o dízimo na maré? Ou esperar, na suposição de que se forem prender todos os que praticam o malfeito cerca-se o Legislativo seguindo a ordem do velho samba “quem está fora não entra, quem está dentro não sai?”.

VERBA DE GABINETE 3

A verba de gabinete foi criada em outras épocas. Isso quando os deputados estaduais reclamavam dos subsídios insuficientes. Para não serem aumentados e a majoração cair no ouvido do povo, desmoralizando-os, preferiram o recursos transverso. Não imagine que isso só acontece na Bahia como o precedente aludido pelo sábio velho Octávio Mangabeira. Também está em outros estados e na Câmara dos Deputados, onde explodiram alguns escândalos. Para ser contratado, não precisa de concurso, teste, nada, absolutamente nada a não ser amigo do deputado ou trabalhar como cabo eleitoral. Também não para por aí. Há os casos denominados “fogo cruzado”, cuja marca é o nepotismo. Não sei a quantas andam na AL-Ba porque ninguém diz nada. Como em silêncio ficaram todos enquanto a PF devassava o gabinete de Roberto Carlos recolhendo “detalhes tão bonitos do gabinete”.



WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia
error: Cópia não Autorizada - Sudoeste Hoje!