Depois do adiamento da votação do pacote de austeridade proposto pelo governo Rui, servidores públicos decidiram manter a ocupação da Assembleia Legislativa da Bahia (Alba), cujo plenário foi tomado por manifestantes na tarde desta terça-feira (11).

“A ideia é que a gente possa ter um contingente de mais de 200 trabalhadores. Cada categoria se responsabiliza a deixar de 10 a 15 pessoas. A avaliação mais consensual é essa. A gente espera fazer constrangimento para barrar a votação. A ideia é ficarmos no plenário e no salão. A sessão está prevista para 14h de amanhã”, disse Rui Oliveira, presidente estadual da APLB.

Entre as propostas do Executivo, estão a privatização de órgãos, extinção de cargos comissionados, alteração e criação de taxas no setor de transporte e aumento da contribuição previdenciária, de 12% para 14%.