A FUNAI (Fundação Nacional do Índio) declarou a inexistência de demarcações de terras indígenas no município de Itambé. O assunto foi tratado com o ministro da Justiça, Torquato Jardim, a quem a FUNAI está vinculada, pelo prefeito Eduardo Gama e pelo deputado federal Antonio Imbassahy, no último dia 24, em Brasília.

Imbassahy, que marcou a audiência com Torquato a pedido do prefeito e do Sindicato Rural de Itambé, afirmou que a declaração da FUNAI é um passo importante para resolver a insegurança jurídica enfrentada por donos de imóveis e produtores rurais, cujas propriedades estão sendo alvo de invasões por grupos que se dizem representantes de indígenas.

“A produção agropecuária em Itambé e região já está consolidada em propriedades de domínio e posse há décadas e, portanto, sem nenhuma possibilidade de questionamento sobre a titularidade. As invasões de grupos são, assim, ilegais e estão prejudicando e muito a economia da região”, afirmou Imbassahy.

Na declaração, a FUNAI afirma que não há registros de reivindicações fundiárias nem estudos de identificação e delimitação de áreas indígenas em curso em Itambé e que também não existem terras indígenas demarcadas ou regularizadas no município.

Segundo o deputado, o problema das invasões tem preocupado os produtores e, por isso, os municípios tem requerido a declaração de inexistência de terras indígenas à FUNAI. De acordo com o Sindicato Rural de Itapetininga, os municípios mais ameaçados atualmente, além de Itambé, são Ribeirão do Largo, Encruzilhada, Caatiba e Macarani.