Acesse o Sudoeste Hoje via Mobile em qualquer lugar!
  • Paulo: Fernando, escutando e assistindo a sessão da câmara pude ver o quanto cinismo , a verdadeira face são...
  • Anonimo: em 2012 a culpa das demissões era do prefeito José Carlos e agora e de quem?
  • Fernando: Lamentável , preocupante , triste porém muito mais ainda por saber que temos vereadores que poderiam ajudar...
  • Jorlane: Sou uma eis funcionária isso e uma vergonha p os governantes será que eles não pense nos país de família q...
  • Anonymous: Tem que vir um atacadão pra essa CIDADE, aqui tudo está caro e quando tem é claro!!
  • anonimo: A população de Vitória da Conquista sabia que Herzem Gusmão seria um péssimo administrador. Lembro muito bem...
  • Anonymous: Isso foi um crime contra o patrimônio que deveria ser restaurado. Segundo falam as madeiras de lei...
  • Ana: Virou moda atribuir ao PT toda e qualquer incompetência ou erro das atuais administrações!
  • Anonymous: Nada haver com o tema.
  • CANDIDATO RÉU: ATÉ AS PRÓXIMAS ELEIÇÕES ESSE VAI FAZER CAMPANHA ELEITORAL ATRÁS DAS GRADES.
  • O Indagador: Herzem já está no 3º ano de gestão em Vitória da Conquista, com pouca popularidade e altíssima...
  • Anonymous: *A culpa é de Herzem! Vereadores atribuem caos do transporte público à irresponsabilidade do prefeito*...
  • Jaílson marcos: Estamos esperando pra ver quando as ruas de baixo do são Francisco vai ser calcadas.
  • Carlos: Atitude sensata em um país tão injusto com os seus necessitados. Enquanto isso, a nação banca tratamento...
  • Cavaquinho: E pior que ele pode ganhar, alguns baianos, se é que podemos chamar de baianos, gostam de serem roubados!...
leitores online


:: 13/jun/2018 . 23:13

JUAZEIRO: PEDREIRO QUE ESTUPROU, MATOU E ENTERROU CUNHADA É CONDENADO A 29 ANOS DE PRISÃO EM JURI POPULAR

O pedreiro Wellington da Cruz Bispo, suspeito de matar a marretadas a cunhada Arlene Costa Borges, de 21 anos, e ainda ocultar o corpo da vítima, em Juazeiro, no norte da Bahia, foi condenado nesta quarta-feira (13) a 29 anos e sete meses de prisão em regime fechado por júri popular. O crime ocorreu no ano de 2014.

O julgamento, que durou mais de 5h, foi realizado no Fórum Conselheiro Luiz Viana.

Wellington está preso desde setembro de 2015. Na época do crime, ele chegou a confessar à polícia ter enforcado, estuprado e matado a vítima.

Wellington era companheiro da irmã da vítima. O pedreiro disse, após ser preso, que Arlene tinha conhecimento sobre um amante da irmã e não teria dito nada a ele.

Nesta quarta, durante o julgamento, o suspeito negou ter cometido o estupro. O homem, no entanto, foi considerado culpado por todos os crimes — homicídio qualificado, ocultação de cadáver e estupro.

O julgamento começou, por volta das 9h, com o interrogatório do acusado. Depois, acusação e defesa tiveram um tempo para apresentar suas teses.

A mãe de Arlene acompanhou o julgamento, usando uma camisa com a foto da filha, e se emocionou quando a promotoria contou detalhes do crime. //G1



WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia