Acesse o Sudoeste Hoje via Mobile em qualquer lugar!
  • Hanilton: Com tanto investimento público nesta empresa é um absurdo se aceitar que se façam isto, é inaceitável, os...
  • carkos: Gente vamos pra rua o prefeito Rodrigo tem que liberar os comerciante
  • AMOSTRA GRÁTIS DO COMUNISMO: COMUNISMO, AMOSTRA GRÁTIS Pouca gente se deu conta que desde o final de Fevereiro/2020...
  • Bruno: No boletim de hj, informa que Itapetinga tem dois casos http://www.saude.ba.gov.br/...
  • Leitor: Algum comunicado do governo da Bahia sobre esse assunto?
  • gilmar: Aqui em maiquinique fomos todos demitidos também
  • Anonymous: Muito triste meu Deus
  • Anonymous: Manda à conta pra o governador pagar
  • Dioclecio: Boa
  • Flávio Cavalcanti: Sobre o comentário do Sr JOANN, está completamente compatível com a realidade do herário...
  • FALA SERIO: Fala sério…o prefeito ouviu a maioria da sociedade, principalmente jovens?…. Será que ele...
  • Anonymous: Agora tá provado, esse hospital só serve de enfeite, só sabe fazer feira de saúde pra tirar dinheiro do...
  • PASSO A PASSO PARA A VITORIA... OU PARA O CAOS: FAÇO ESSA EXPLICAÇÃO, PASSO A PASSO, PARA QUE VOCÊ ENTENDA...
  • JOANN Rezende: E hora de todos unirmos,porém a prefeitura tem que dar a sua resposta. Quando todo esse episódio...
  • Anonimo: Mas ha foi falado que esse isolamento em outras partes do mundo não funcionou foi preciso voltar ao...
leitores online


:: 13/jun/2018 . 23:13

JUAZEIRO: PEDREIRO QUE ESTUPROU, MATOU E ENTERROU CUNHADA É CONDENADO A 29 ANOS DE PRISÃO EM JURI POPULAR

O pedreiro Wellington da Cruz Bispo, suspeito de matar a marretadas a cunhada Arlene Costa Borges, de 21 anos, e ainda ocultar o corpo da vítima, em Juazeiro, no norte da Bahia, foi condenado nesta quarta-feira (13) a 29 anos e sete meses de prisão em regime fechado por júri popular. O crime ocorreu no ano de 2014.

O julgamento, que durou mais de 5h, foi realizado no Fórum Conselheiro Luiz Viana.

Wellington está preso desde setembro de 2015. Na época do crime, ele chegou a confessar à polícia ter enforcado, estuprado e matado a vítima.

Wellington era companheiro da irmã da vítima. O pedreiro disse, após ser preso, que Arlene tinha conhecimento sobre um amante da irmã e não teria dito nada a ele.

Nesta quarta, durante o julgamento, o suspeito negou ter cometido o estupro. O homem, no entanto, foi considerado culpado por todos os crimes — homicídio qualificado, ocultação de cadáver e estupro.

O julgamento começou, por volta das 9h, com o interrogatório do acusado. Depois, acusação e defesa tiveram um tempo para apresentar suas teses.

A mãe de Arlene acompanhou o julgamento, usando uma camisa com a foto da filha, e se emocionou quando a promotoria contou detalhes do crime. //G1



WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia