A topeira municipal, na sua santa parilisia cerebral, dizia que a crise da Azaléia não passava de “terrorismo dos blogs” (leia-se ‘terrorismo do Sudoeste Hoje’), quando alertávamos para o que poderia acontecer, caso a fábrica saisse da cidade. O sujeito, para não sair do seu estado de inércia, relutava em admitir o óbvio, enquanto o mundo prometia acabar à sua volta. Foi preciso bater forte para que ele edmitisse a crise, embora nada tenha feito para estancá-la. Agora, quando o Governo do Estado revela que conseguiu viabilizar um empréstimo de quase 64 milhões, junto ao Banco do Nordeste, para salvar a empresa, o boca aberta manda seus puxa-sacos alardearem que foi ele quem conseguiu o empréstimo. Se fosse para comprar boi o colocar na sua manga encapoeirada , todo mundo acreditaria. Quanta ‘imaginação’…