Pais da criança exigem providências da maternidade

 

Ilhéus – A titular da Delegacia Circunscricional de Ilhéus, Magda Figueiredo, investiga uma mulher, suspeita de ser uma das duas pessoas que entraram na Maternidade Santa Helena e roubaram um bebê de apenas 12 dias. A menina é filha de Luziene de Oliveira Gonçalves, 16 anos, que já havia tido alta médica, mas precisou retornar à maternidade porque os pontos da cirurgia inflamaram.

“A mulher levou a criança junto com o cartão de vacinação e a declaração de nascimento, com a qual ela poderá registrar o bebê em qualquer lugar”, diz a delegada, que já comunicou o fato aos cartórios de Ilhéus e de cidades vizinhas.

Luziene Gonçalves conta que, na tarde do último domingo, ela estava no quarto com a filha recém-nascida e a mãe, que é deficiente visual, quando chegou uma jovem branca, estatura baixa e vestindo blusa rosa, perguntando por uma pessoa com o nome parecido com o dela. Luziene disse que ali não havia ninguém com esse nome, mesmo assim a desconhecida permaneceu no local e começou a falar sobre a vida pessoal. Contou que morava no bairro Teotônio Vilela com a mãe, um irmão e uma filha de sete meses.

Pouco depois, entrou outra mulher, alta, magra, morena e vestindo jaleco e uma touca de hospital brancos. Levou a neném dizendo que ia vaciná-la. Luziene estava recostada em uma poltrona e mal teve tempo de se mover e dizer que a filha não precisava de vacina. Ela ainda perguntou à jovem que entrou primeiro se a filha estava sendo levada para se vacinar e ela teria respondido que sim. Em seguida, também deixou o quarto e sumiu.

Luziene saiu gritando, mas ninguém na maternidade, que pertence ao Hospital São José, soube dizer se uma mulher alta e morena passou levando uma criança. O marido da jovem, Laércio Souza dos Santos, 22 anos, prestou queixa na delegacia. Além das duas mulheres, o casal suspeita de uma terceira, que estava internada no quarto vizinho se recuperando de uma curetagem.

Um dos diretores do hospital, Carlos Lira, disse que não estava trabalhando quando ocorreu o fato, mas a mantenedora do hospital e da maternidade já está levantando dados para tomar as providências cabíveis. A Tarde