Em análise a uma ‘denúncia anônima’ sobre o suposto uso indevido de diárias para viagem pelo vereador Pastor Evandro (PSD), o Ministério Público Estadual, através da promotoria local, decidiu pelo arquivamento definitivo do caso, por não encontrar nenhuma prova ou vestígio de má-fé por parte do edil.

A maliciosa denúncia teve ampla repercussão em blogs e redes sociais, colocando em xeque a lisura do atuante parlamentar, visando apenas comprometer o seu bom nome e manchar a sua conduta como cidadão íntegro e religioso da nossa sociedade, por mera perseguição política eleitoreira, sem qualquer fundamento ou base legal.

Assim, o Ministério Público acatou os argumentos da defesa do Pastor Evandro, ao verificar a total ausência de dolo (fraude) por parte do agente, e optou pelo arquivamento definitivo do caso, na forma abaixo descrita:

O MP verificou também que a concessão das diárias e a sua prestação de contas na tesouraria da Câmara de Vereadores foi totalmente regular, “pela ausência de dolo do agente em causar dano ao patrimônio público ou em locupletar-se ilicitamente dos recursos públicos”, concluiu o MP em sua decisão.

Em contato com o Sudoeste Hoje, o vereador Pastor Evandro externou a sua indignação pelas publicações inverídicas e maldosas por parte de alguns meios de imprensa locais, que mesmo sem provas e investigação conclusiva do Ministério Publico, o crucificaram, execrando-o publicamente.

Diante da comprovação da sua inocência, o vereador deverá buscar na justiça a reparação devida pelos danos causados à sua honra e dignidade, contra os supostos autores e divulgadores da malfadada denúncia.

Por Davi Ferraz