Bahia Notícias

A Bahia avalia fechar cervejarias no estado como medida de combate a um novo crescimento de casos a agravamento da pandemia da Covid-19. A possibilidade foi reconhecida pelo secretário estadual da Saúde, Fábio Vilas-Boas, nesta segunda-feira (24). Tem sido recorrente a dispersão de aglomerações em festas clandestinas nos fins de semana tanto no interior quanto na capital, e o fato tem preocupado a gestão estadual.

Na avaliação do secretário, a bebida é o grande “vilão”, principalmente a cerveja. Ele acredita que estão entre os maiores responsáveis pelas aglomerações causadas por festas clandestinas. “Ninguém faz um reggae desse aí sem estar movido a cerveja, que é a bebida mais consumida na Bahia”, sinalizou.

Diante disso, Vilas-Boas afirmou “vai chegar o dia que nós teremos que fechar fábricas de cerveja na Bahia”. O secretário fez a afirmação durante entrevista ao Jornal da Manhã, na TV Bahia.

O titular da Sesab reforçou o argumento citando dados divulgados neste fim de semana que mostram que o volume de vendas de cerveja no Brasil em 2020 foi o maior dos últimos seis anos. Foram comercializados 13,3 bilhões de litros, perdendo só para 2014, ano em que o país sediou a Copa do Mundo.

Na Bahia estão instaladas cervejarias como a do grupo Petrópolis, Ambev, Heineken, entre outras.

Após a publicação da matéria, o secretário de Saúde informou que o comentário foi “um mero exercício de retórica”. “Esse assunto nunca foi discutido internamente”, afirmou.