Os professores da Universidade Estadual da Bahia (Uneb), Universidade Estadual de Feira de Santana (Uefs) e Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia (Uesb), em greve há 65 dias, decidiram encerrar a paralisação da categoria, em assembleias realizadas nesta quarta-feira (12), em Salvador.

De acordo com a assessoria de comunicação dos docentes da Uneb e Uefs, as aulas deverão ser retomadas na segunda-feira (17). O calendário de reposição de aulas será definido nos próximos dias. Até por volta das 19h20, a data do retorno das atividades na Uesb ainda não havia sido definido.

A Universidade Estadual de Santa Cruz (Uesc) também realizou uma assembleia nesta quarta, mas decidiu manter a paralisação até que o governo assine um termo de acordo conforme estabelecido no documento acordado entre as partes em reunião na segunda-feira (10).

Tanto a assessoria de comunicação dos docentes da Uneb, quanto a da Uefs informou que, apesar de os professores terem decidido pelo fim da greve, eles permanecem em “estado de mobilização” para cobrar itens do governo que ainda não foram acordados. O “estado de mobilização” significa que, em caso de divergências nas negociações, uma nova paralisação pode acontecer a qualquer momento.

Na Uneb, entre os pontos ainda sem acordo entre governo e professores está a reivindicação dos docentes de pagamento de 5,9% de reajuste no salário base no ano de 2019.