A presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), Rosa Weber, negou pedido do PT para aumentar o prazo para substituição do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva na chapa que concorre à Presidência e enviou o recurso da defesa do petista ao Supremo Tribunal Federal (STF).

Weber ainda manteve a validade do indeferimento da candidatura até o STF tomar alguma posição sobre o caso. A defesa de Lula questiona a decisão do TSE de barrar o petista nas eleições com base na Lei da Ficha Limpa – o ex-presidente foi condenado em segunda instância e, por isso, enquadrado.

Os advogados do ex-presidente argumentaram que o limite de dez dias só deveria contar a partir do fim dos recursos pendentes contra a decisão do TSE. O prazo máximo seria 17 de setembro. Para a ministra, no entanto, com a admissibilidade do recurso, avaliou a ministra, não há “perigo na demora” de análise do caso, uma vez que o STF pode tomar a decisão antes do dia 11.

O prazo para substituição de Lula por outra candidato acaba nesta terça-feira (11). O recurso ao STF será apreciado pelo ministro Celso de Mello.