O que rola hoje nos bastidores da política local é a ‘milagrosa’ aprovação das contas do prefeito Zé Carlos, no TCM, e a rejeição das contas do ex-presidente da câmara de vereadores, Marcos Gabrilelli. Se forem comparados os motivos de ordem técnica apontados pelo órgão, o resultado deveria ser o contrário, mas não é bem esta a lógica dos ilustres conselheiros do TCM e seus auxiliares. O negócio lá é muito diferente do que se pensa e já foi o tempo em que as coisas eram resolvidas resolvidas com um simples ‘pistolão’ político. Israel Miranda, o operador do esquema de Zenóbio na prefeitura, sabe disto, conhece o ‘caminho das pedras’ e se aproveitou para ‘matar dois coelhos com uma só cajadada’: aprovou as complicadas contas de Zé Carlos e detonou as de Marcos Gabrilelli, seu desafeto. Mostrou para que veio.