Acesse o Sudoeste Hoje via Mobile em qualquer lugar!
  • Não te interessa: Só queria saber por que e tão dificil regularizar a situação de um imóvel nesta cidade. Será que tá...
  • Irene santos: Estou ansiosa pela chegada das casas Bahia no sul do Oeste Itapetinga éramos de santo Andre são Paulo...
  • Stephanie: Preciso trabalha sou mãe e infelizmente o pai da minha BB faleceu então é so eu é ela
  • nilza Maria Ferraz: não colocou o nome de tio Neuma e tio Nerivaldo e tio Nelson obrigada
  • Anonymous: Lamento,meus sinceros sentimentos pela triste perda. A saudade estará sempre presente!
  • Ione Almeida: Meus sentimentos a toda família.
  • CHURRASCO COM CARNE DE PAPELÃO: Que saudade do tempo dos esquerdistas quando enganavam a gente misturando papelão à...
  • Cavaquim: Luladrão foi atrás do “BREQUE FRAUDE” no TRF4, saiu de lá com um aumento de 40% na pena…...
  • Anônimo.: Como é que fica a questão dos equipamentos de segurança para realizar o trabalho em altura? Isso é contra a...
  • Fernando: Toda vez que tem longo período sem chuva ocorre temporal.Consciente que isso vai ocorrer governantes e...
  • Fernando: Os partidos trabalhando para disputar eleições o MDB já começou ,como sempre com força .A imprensa...
  • Noe: Rodrigo tá eleito a oposição e fraca dr Roberto não ganha o grupo de Rodrigo faz uns 6 vereador
  • SERGIO GOMES CARVALHO: Bem, as notícias até ontem no Jornal Nacional, são de que ele estava em estado grave porém...
  • Cavaquim: Pra não dizer que foi o “azuzim”! Kkkkkkkkkkkk
  • FAKE NEWS POR ENQUANTO.: Nesta data e horário, os noticiários televisivos informam que o Gugu Liberato ainda se...
leitores online


APROVADO FIM DAS COLIGAÇÕES NAS ELEIÇÕES PROPORCIONAIS

 

A CCJ (Comissão de Constituição e Justiça) do Senado aprovou nesta quarta-feira por 14 votos a 6 o fim das coligações partidárias nas eleições proporcionais. A PEC (proposta de emenda constitucional) aprovada pelos senadores proíbe os partidos políticos de formar coligações nas eleições para a Câmara dos Deputados, Assembleias e Câmaras de Vereadores.

Ficam mantidas as coligações somente nas eleições majoritárias –presidente da República, governos estaduais, municipais e Senado. A proposta, que integra a reforma política em tramitação no Senado, segue para votação no plenário da Casa. Depois de aprovados no Senado, os projetos que integram a reforma política ainda precisam tramitar pela Câmara. (Folha)

7 respostas para “APROVADO FIM DAS COLIGAÇÕES NAS ELEIÇÕES PROPORCIONAIS”

  • Geraldo Habib says:

    O BAIXO CLERO E A SOPA DE LETRINHAS COM O TEMPO VÃO ACABAR.

  • Geraldo Habib says:

    ANDEM RAPIDO, O MUNDO ESPERA ENTERRA-LOS LOGO.

    A televisão venezuelana exibiu nesta quarta-feira uma versão com 20 minutos de duração de um vídeo divulgado na véspera em que aparece o encontro do presidente do país, Hugo Chávez, e do líder cubano, Fidel Castro, em Havana, onde o líder sul-americano está desde o último dia 10 de junho.

    No vídeo, transmitido rapidamente antes na Venezuela do que em Cuba, onde será exibido ao fim do noticiário da TV cubana, é possível observar os dois líderes vestidos com roupas esportivas e em uma conversa que ocorre primeiro no jardim e posteriormente sentados em um quarto.

    No início, é possível ver Chávez caminhando lentamente o encontro com Fidel Castro, com quem conversa sobre o conteúdo dos jornais cubanos Granma e Juventud Rebelde desta terça-feira.

    Posteriormente, Fidel e Chávez aparecem sentados em uma sala e acompanhados pelas filhas do presidente venezuelano Rosa Virgina e Rosinés, além de uma neta.

    Nessa parte do vídeo, os presidentes comentam lembranças e temas de política externa.

    As imagens de Chávez são as primeiras em vídeo e o primeiro testemunho gráfico desde a publicação em 18 de junho em Cuba de fotografias do presidente venezuelano com Fidel Castro e o presidente cubano, Raúl Castro.

    O Governo da Venezuela tentou assim dar fim aos rumores que proliferaram nos últimos dias sobre a saúde de Hugo Chávez, operado de um abscesso pélvico no último dia 10 de junho em Havana na parte final de uma viagem que o tinha levado anteriormente ao Brasil e ao Equador.

  • POR DENTRO says:

    Se isto vingar, quero só ver onde vão encostar Romildo, Jacy, Nilton bicheiro e outros parasitas da política local. Se se unirem, elege um e os outros dançam, e olha lá. Outro que fica em péssima situação é Gilson de Jesus, que não ampliou o número de candidatos dentro do PCdoB e vai ter que concorrer praticamente sozinho. Vai ter que usar Jerry, Zé Ferreira e mais um monte de camaradas como “Maizena”, para tentar engrossar o caldo. Não vai ser fácil.

  • Ramiro Antonio Moreira Oliveira says:

    Dr. Davi.
    Se o Congresso Nacional aprovar o fim das coligações proporcionais será bom para o país porque isso fortalecerá os partidos políticos, haja vista que, o partido que eleger um candidato deverá fiscalizar, orientar e ajudá-lo a “administrar” o seu mandato, porque o desempenho dele irá refletir diretamente no partido, ou seja, os partidos terão que escolher pessoas competentes politicamente e comprometidas com a sociedade, porque senão serão sucumbidos.
    Espero e torço para que o congresso aprove o voto facultativo e distrital porque assim teremos, finalmente, a tão almejada democracia eleitoral.
    Espero que essa reforma política saía de verdade porque o ex-presidente Lula no início do seu mandato disse que faria as reformas da previdência social, a tributária e a política. Ele passou 8 anos no poder e não fez nenhuma das três. Portanto, acho que será muito dificil essa reforma politica acontecer.

    Ramiro Antonio Moreira Oliveira

  • Eleitor 2012 says:

    agora q ficou bom pra quem tem GRANA, partidos pequenos podem sumirem ficando apenas partidos grandes,cmo PT, PMDB, DEM, PSDB(bye bye democracia) mas pra ficar justo, tem que acabar com o coeficiente, ou seja elegem os 15 vereadores mais votados.

  • Geraldo Habib says:

    Ramiro, O populista não fez as reformas porque era conveniente a ele e ao partido da maracutaia. Com relação a se acabar com estes partidozinhos de aluguel, se acontecer vai ser uma maravilha. O baixo clero deixa de ficar o tempo inteiro constrangendo o povo Brasileiro com suas cobranças interminaveis de coisas impossiveis.

    TUDO ISTO SERIA UMA MARAVILHA SE VIVESSEMOS EM UM PAIS QUE SEUS POLITICOS SE RESPEITASSEM E NOS RESPEITASSEM TAMBÉM.

  • Geraldo Habib says:

    DA FASE SAMBA DO CRIOLO DOIDO ! DIVIRTAM-SE !

    Fala sério.
    O Brasil agora quer censurar Vila Lobos, Monteiro Lobato e quantos mais?
    É mais fácil proibir do que contextualizar, então tome-lhe tesoura!!!

    POLITICAMENTE CORRETO É O CACETE!!!

    O CRAVO NÃO BRIGOU COM A ROSA
    Chegamos ao limite da insanidade da onda do politicamente correto. Soube dia desses que as crianças, nas creches e escolas, não cantam mais O cravo brigou com a rosa. A explicação da professora do filho de um camarada foi comovente: a briga entre o cravo – o homem – e a rosa – a mulher – estimula a violência entre os casais. Na nova letra “o cravo encontrou a rosa/ debaixo de uma sacada/o cravo ficou feliz /e a rosa ficou encantada”.

    Que diabos é isso? O próximo passo é enquadrar o cravo na Lei Maria da Penha. Será que esses doidos sabem que O cravo brigou com a rosa faz parte de uma suíte de 16 peças que Villa Lobos criou a partir de temas recolhidos no folclore brasileiro?

    É Villa Lobos, cacete!

    Outra música infantil que mudou de letra foi Samba Lelê. Na versão da minha infância o negócio era o seguinte: Samba Lelê tá doente/ Tá com a cabeça quebrada/ Samba Lelê precisava/ É de umas boas palmadas. A palmada na bunda está proibida. Incita a violência contra a menina Lelê. A tia do maternal agora ensina assim: Samba Lelê tá doente/ Com uma febre malvada/ Assim que a febre passar/ A Lelê vai estudar.

    Se eu fosse a Lelê, com uma versão dessas, torcia pra febre não passar nunca. Os amigos sabem de quem é Samba Lelê? Villa Lobos de novo. Podiam até registrar a parceria. Ficaria assim: Samba Lelê, de Heitor Villa Lobos e Tia Nilda do Jardim Escola Criança Feliz.

    Comunico também que não se pode mais atirar o pau no gato, já que a música desperta nas crianças o desejo de maltratar os bichinhos. Quem entra na roda dança, nos dias atuais, não pode mais ter sete namorados para se casar com um. Sete namorados é coisa de menina fácil. Ninguém mais é pobre ou rico de marré-de-si, para não despertar na garotada o sentido da desigualdade social entre os homens.

    Dia desses alguém [não me lembro exatamente quem se saiu com essa e não procurei a referência no meu babalorixá virtual, Pai Google da Aruanda] foi espinafrado porque disse que ecologia era, nos anos setenta, coisa de viado. Qual é o problema da frase? Ecologia, de fato, era vista como coisa de viado. Eu imagino se meu avô, com a alma de cangaceiro que possuía, soubesse, em mil novecentos e setenta e poucos, que algum filho estava militando na causa da preservação do mico leão dourado, em defesa das bromélias ou coisa que o valha. Bicha louca, diria o velho.

    Vivemos tempos de não me toques que eu magôo. Quer dizer que ninguém mais pode usar a expressão coisa de viado ? Que me desculpem os paladinos da cartilha da correção, mas isso é uma tremenda babaquice. O politicamente correto é a sepultura do bom humor, da criatividade, da boa sacanagem. A expressão coisa de viado não é, nem a pau (sem duplo sentido), ofensa a bicha alguma.

    Daqui a pouco só chamaremos o anão – o popular pintor de roda-pé ou leão de chácara de baile infantil – de deficiente vertical . O crioulo – vulgo picolé de asfalto ou bola sete (depende do peso) – só pode ser chamado de afrodescendente. O branquelo – o famoso branco azedo ou Omo total – é um cidadão caucasiano desprovido de pigmentação mais evidente. A mulher feia – aquela que nasceu pelo avesso, a soldado do quinto batalhão de artilharia pesada, também conhecida como o rascunho do mapa do inferno – é apenas a dona de um padrão divergente dos preceitos estéticos da contemporaneidade. O gordo – outrora conhecido como rolha de poço, chupeta do Vesúvio, Orca, baleia assassina e bujão – é o cidadão que está fora do peso ideal. O magricela não pode ser chamado de morto de fome, pau de virar tripa e Olívia Palito. O careca não é mais o aeroporto de mosquito, tobogã de piolho e pouca telha.

    Nas aulas sobre o barroco mineiro, não poderei mais citar o Aleijadinho. Direi o seguinte: o escultor Antônio Francisco Lisboa tinha necessidades especiais… Não dá. O politicamente correto também gera a morte do apelido, essa tradição fabulosa do Brasil.

    O recente Estatuto do Torcedor quer, com os olhos gordos na Copa e 2014, disciplinar as manifestações das torcidas de futebol. Ao invés de xingar a mãe do juiz e o centroavante pereba tomar naquele lugar, cantaremos nas arquibancadas o allegro da Nona Sinfonia de Beethoven, entremeado pelo coro de Jesus, alegria dos homens, do velho Bach.

    Falei em velho Bach e me lembrei de outra. A velhice não existe mais. O sujeito cheio de pelancas, doente, acabado, o famoso pé na cova, aquele que dobrou o Cabo da Boa Esperança, o cliente do seguro funeral, o popular tá mais pra lá do que pra cá, já tem motivos para sorrir na beira da sepultura. A velhice agora é simplesmente a “melhor idade”.

    Se Deus quiser morreremos, todos, gozando da mais perfeita saúde. Defuntos? Não. Seremos os inquilinos do condomínio Cidade do Pé Junto.

Deixe seu comentário



WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia