A baiana Graziela Coutinho, 35 anos, estava em casa quando o celular vibrou e, na tela do aparelho, apareceu uma mensagem enviada pela cunhada: “você está vendo a televisão?”. Sem entender, ela ligou a TV e viu as imagens da tragédia provocada pelo rompimento da barragem de Brumadinho, na Região Metropolitana de Minas Gerais. Foi aí que o coração dela apertou.

Até o início desta segunda-feira (21), havia confirmação de 60 mortos, 291 desaparecidos e 192 resgatados.

“Meu irmão é mecânico industrial e estava trabalhando há quatro meses na Vale, através de uma empresa terceirizada. Falei com minha cunhada na mesma hora, mas ela estava muito nervosa. Foi um momento muito difícil”, contou Graziela. //Correio