Um incêndio em um prédio residencial de 19 andares no Bronx, em Nova York, deixou mais de 60 feridos e ao menos 19 mortos, sendo nove deles crianças. As chamas foram iniciadas por volta das 11h da manhã deste domingo (9/1), em um apartamento duplex no segundo e terceiro andares, e, em poucos minutos, se espalhou por toda a edificação, que conta com 120 unidades residenciais.

O comissário do Corpo de Bombeiros, Daniel Nigro, afirma que os agentes chegaram ao local em três minutos após a notificação e já encontraram as vítimas mortas “em todos os andares, com parada cardíaca e respiratória”. Nigro conta que “as condições de fumaça neste prédio eram sem precedentes”, o que pode ter causado mortes rápidas dos moradores do local.

Foram necessários 200 bombeiros da cidade de Nova York para combater as chamas e fazer o resgate das vítimas. Das 63 pessoas feridas, 32 estão com risco de vida e foram conduzidas para cinco hospitais do Bronx. Uma fonte do jornal The New York Times identificada apenas como “uma autoridade municipal” confirmou que 19 pessoas morreram até o momento, sendo nove delas crianças.

O prefeito da cidade, Eric Adam, declarou, em entrevista coletiva, que “os números são horríveis” e que este é “um dos piores incêndios que testemunhamos nos tempos modernos”. A causa da tragédia ainda não foi esclarecida, mas os Bombeiros afirmam que o fogo se espalhou mais facilmente porque a porta do apartamento em que as chamas foram iniciadas estava aberta.

O prédio foi construído em 1972 e, de acordo com as autoridades, parecia não ter saídas de segurança. Cerca de 25 janelas foram destruídas para chegar até as vítimas.