Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) aprovou nesta sexta-feira (4), com restrições, o pedido de importação excepcional das vacinas Sputnik V e Covaxin contra a Covid-19. A decisão, que ocorreu após cerca de sete horas de debates e apresentação de relatórios, vale apenas para lotes específicos de imunizantes trazidos de fora e não configura autorização de uso emergencial pela agência.

No caso da Covaxin, o uso será restrito a 1% da população. E, em relação à Sputnik, será referente a 1% da população de cada estado.

A agência, que havia rejeitado a compra dos imunizantes, mudou a orientação depois da chegada de novos documentos das fabricantes.