janeiro 2021
D S T Q Q S S
 12
3456789
10111213141516
17181920212223
24252627282930
31  
Acesse o Sudoeste Hoje via Mobile em qualquer lugar!
  • Davi Ferraz: Neto, se for verdade essa informação, é muito grave. Vamos investigar…
  • Neto: A secretária de saúde de itororo Ana Rios foi vacinada obtém ela é filha do prefeito Paulo Rios. Pode isso...
  • Leitor: Isso pode ser considerado até crime.
  • Anonymous: Que DEUS tenha misericórdia de nós quê NOSSOS IRMÃOS TENHA MAIS juízo Pensem melhor ANTES de SE aglomeram...
  • Retado: A velha frase: venha nós, vosso reino nada. Vergonhoso Politicagem pura
  • MARIO CANDIDO VITREN: Isso não é digno de uma advertência?se é pra começar pelos trabalhadores da saude? É...
  • BRUNO HENRIQUE REZENDE: Nao tinha que ser um servidor da saude? Ai,ai ai.
  • Mara Meneses: Número baixo de vacina recebida na primeira etapa, que foi designada pra o pessoal da saúde e idosos a...
  • anônimo: Qual a idade do vice prefeito de Caatiba, se não tem 75 anos ou mais não é do grupo de prioridade, o...
  • Anonymous: misericórdia Jesus de nós
  • Davi Ferraz: José Messias, esse é um protocolo nacional. Existem as etapas e prioridades, mas todo mundo será...
  • José Messias Santos de Oliveira: Estão vacinando é as pessoas como diabetes é outra que estão doentes. Então pra...
  • Davi Ferraz: Juliana, só os que atuam diretamente no combate à covid-19
  • Juliana: Praticamente essa quantidade aí só vai dar pros profissionais de saúde … Que são muitos em Itapetinga
  • Retado: E ninguém fala das aglomerações na desgraça da eleição, né?
leitores online


RETORNO ÀS AULAS PRESENCIAIS NA REDE PÚBLICA DE ITAPETINGA: UM DOS MAIORES DESAFIOS PÓS-PANDEMIA


Estamos todos angustiados. Professores, alunos, pais, gestores, funcionários, autoridades sanitárias, médicos, etc. O que fazer com o ano letivo de 2020? Qual o melhor caminho para REDUZIR os prejuízos pedagógicos, sociais e financeiros? Como diminuir o abismo entre escolas públicas e particulares acentuado pela pandemia?

Na verdade, estamos órfãos. Em outubro o MEC publicou o guia com recomendações para o retorno das aulas presenciais nos estados e municípios sugerindo uma tabela de cores, que avalia o nível de transmissão em determinado estado ou município: por exemplo, regiões que tenham casos esporádicos de COVID-19 são da cor verde e todas as escolas estariam autorizadas a reabrir. Regiões que ainda tenham transmissão comunitária (EXISTE ALGUM MUNICÍPIO DO PAÍS SEM TRANSMISSÃO COMUNITÁRIA?), são da cor vermelha e é preciso fazer avaliação de risco para reabrir as escolas, além de atentar que, se reabertas, elas podem fechar a qualquer momento caso o número de casos de infecção por Coronavírus aumente.

A cartilha do MEC confunde mais do que orienta. Para completar, o ministro da Educação, Milton Ribeiro, afirmou em entrevista ao jornal O Estado de São Paulo que a condução da volta às aulas e as desigualdades de acesso à internet e equipamentos são responsabilidade dos estados e municípios e não do MEC.

Por outro lado, não podemos nos acomodar e achar que as aulas presenciais poderão ficar indefinidamente suspensas até que ocorra a vacinação em massa, prevista para o final de 2021. Os prejuízos aos alunos, principalmente aos das redes públicas são imensos, passando pela questão do conteúdo perdido, alimentação, socialização, segurança física pois muitos estão ficando sozinhos em casa ou desprotegidos no período em que estariam nas escolas, etc.

Mas e aí? Como voltar? Quando voltar? Essas perguntas ganham muita importância, principalmente neste momento em que todos os índices dão conta de novo crescimento da doença. São muitas perguntas ainda sem respostas concretas. Por exemplo: se houve permissão de abertura de bares, academias, comércio, cinemas, transporte público lotado, etc., qual a justificativa sanitária para a continuidade de fechamento presencial das escolas? Qual o impacto adicional sobre os casos da COVID-19 oriundo da possível reabertura das escolas sob um novo protocolo de segurança? Eu não sei responder. Você saberia?

É chegada a hora da grande discussão entre gestores, alunos, pais, professores, etc., para a tomada de decisão. Essa inércia de discussão me incomoda muito, pois os alunos das escolas particulares na sua grande maioria TERÃO PREJUÍZOS DE CONTEÚDO E APRENDIZAGEM, pois ninguém estava preparado para o que está acontecendo. MAS O ANO LETIVO SERÁ CONCLUÍDO E OS ALUNOS DAS ESCOLAS PARTICULARES TERÃO A OPORTUNIDADE DE A SEGUIR SUAS VIDAS CRONOLÓGICAS ESCOLARES. Os prejuízos que terão, E TERÃO, mesmo com atividades on-line, serão minimizados nos próximos anos. E OS ALUNOS DAS REDES PÚBLICAS? TERÃO QUE PERDER O ANO LETIVO SOB O ARGUMENTO DE QUE OS CONTEÚDOS DEVERÃO SER REPOSTOS CUSTE O QUE CUSTAR? Repostos como? Em 2021 junto com o ano letivo de 2020? Lembremos que quando as escolas públicas retornarem às atividades presenciais deverão ter seu quantitativo de alunos reduzidos à metade para garantir o distanciamento mínimo, ou seja, a metade dos alunos frequentará em um dia e a outra metade no dia seguinte. É ISSO MESMO QUE ALGUNS TEÓRICOS FORA DA REALIDADE CONTINUARÃO SUGERINDO: Dois anos letivos condensados em um único ano com os alunos frequentando as escolas de forma presencial apenas na metade dos dias?

Condensar os calendários dos anos letivos de 2020 e 2021 será um grande faz de conta. NA PRÁTICA, PERDEREMOS OS DOIS ANOS LETIVOS, pois os conteúdos dos dois anos não poderão ser ministrados a contento, além das impossibilidades práticas que essa medida irá impor.

Eu não estou preocupado com as repercussões da sugestão que dei em agosto, muito antes dos estados do Rio de Janeiro e São Paulo adotá-la e continuo dando agora. Depois de muita reflexão está claro para mim que O ANO LETIVO DE 2020 DA REDE PÚBLICA DEVERÁ SER DADO COMO CONCLUÍDO E OS ALUNOS DEVERÃO SER AUTORIZADOS A MATRICULAR EM 2021 NO ANO LETIVO SUBSEQUENTE. Os conteúdos de 2021 e 2022 deverão ser repensados e adaptados para a busca da minimização das perdas. Caso algum pai ou aluno não concorde em seguir adiante com a aprovação automática poderá se matricular em 2021 no mesmo ano que iniciou em 2020.

Entendo que na realidade atual REPROVAR OS ALUNOS DAS ESCOLAS PÚBLICAS SIGNIFICARIA APROVAR APENAS AQUELES QUE TIVERAM OPORTUNIDADE DE ACESSO, DE EQUIPAMENTO, DE FAMÍLIAS QUE PODIAM FAZER A MEDIAÇÃO. Fico triste quando vejo discussões meramente teóricas e pedagógicas desta situação, desconectadas da realidade dos fatos. Tem pessoas que parecem estar apartadas da grave situação atual, presas a um discurso teórico da academia e alheias ao fato de que os prejuízos estão aí, são muitos, e as nossas decisões de agora poderão diminuí-los ou potencializá-los. Cuidado com o errático discurso de “Eu preciso fazer o que é certo, cumprir à risca o que aprendi na academia sob o ponto de vista meramente pedagógico”. Precisamos fazer o que é melhor na situação atual. Nenhuma universidade previu o cenário que vivemos hoje.

Se nós reprovarmos os alunos da rede pública, obrigando-os a cursar dois anos letivos em 2021, estaremos referendando as suas condições de não competir com alunos das escolas particulares o que não é justo e agravará o abismo social.

Se a aprovação automática de todos os alunos da Rede Pública Municipal de Itapetinga em 2020 for a decisão escolhida pela maioria dos pais, professores, funcionários, alunos, caberá à Secretaria de Educação em consonância com as instâncias normativas do Sistema Municipal adotar todas as medidas necessárias para que o ano de 2021 siga dentro da segurança preconizada pela OMS, incluindo cronograma de reposição dos conteúdos, inclusão do ensino remoto junto com as aulas presenciais, organização dos novos métodos de avaliação, oportunização dos alunos que não disponham de acesso à Internet aos conteúdos impressos, cuidar com rigor das medidas sanitárias de controle à COVID-19 incluindo profilaxia das dependências de veículos e escolas, disponibilização de máscaras e álcool em gel para todos, aferição sistemática de temperatura corporal, isolamento imediato dos sintomáticos, afastamento das pessoas dos grupos de risco principalmente professores e funcionários, adoção de rotinas de treinamento dos envolvidos, manutenção do diálogo e interação permanente com alunos, professores, funcionários, pais e autoridades de saúde.

Eu posso estar errado, MAS ACREDITO QUE A REPROVAÇÃO NESTAS CONDIÇÕES SOMENTE AUMENTARÁ A DESIGUALDADE EDUCACIONAL ENTRE OS ALUNOS DAS ESCOLAS PÚBLICAS E PARTICULARES. Os alunos das famílias com menores condições socioeconômicas que forem reprovados ou que forem obrigados a cursar dois anos em um poderão sentir-se estimulados a abandonar os estudos.

Resumindo, eu sou teórico, mas também tenho os dois pés plantados no chão. Se tivesse filho matriculado na rede pública optaria que ele tivesse o ano letivo de 2020 dado como concluído e matriculado normalmente em 2021 no ano subsequente. Os conteúdos correríamos atrás nos próximos anos, ou até mesmo durante a vida.

02 de dezembro de 2020
Prof. Dr. Geraldo Trindade
Prof. Adjunto da UESB – Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia
Ex-Secretário Municipal de Educação de Itapetinga

1 resposta para “RETORNO ÀS AULAS PRESENCIAIS NA REDE PÚBLICA DE ITAPETINGA: UM DOS MAIORES DESAFIOS PÓS-PANDEMIA”

  • celidalva silva says:

    Esse artigo do Dr.prof.Geraldo Trindade foi bastante esclarecedor deixando a comunidade escolar muito tranquila e cinsciente do que pode ou nao ocorrer no próximo ano letivo de 2021.Esperamos que o Dr retorne a Pasta da Educacao dando continuidade ao brilhante trabalho realizado na educacao do nosso municipio.

Deixe seu comentário


  • 30 de novembro de 2020 | 11:00

  • DIVULGUE SUA CAMPANHA AQUI 77-99202-8142
    14 de outubro de 2020 | 10:40


  • 14 de agosto de 2020 | 21:43


  • 29 de julho de 2020 | 21:45


  • 29 de julho de 2020 | 21:40

  • NÃO DISCRIMINE QUEM TESTOU POSITIVO
    10 de julho de 2020 | 22:27

  • OPOSIÇÃO APOSTA NA PANDEMIA: “QUANTO PIOR, MELHOR”
    12 de junho de 2020 | 20:57

    Em Itapetinga, a oposição entrou em desespero e aposta todas as suas fichas no agravamento da pandemia, pra ver se consegue tirar proveito da situação. É a política do “quanto pior, melhor”. Mas as coisas não funcionam bem assim, como imaginam os nossos incansáveis ‘porras loucas’ do PT e agregados. Basta ver os altos índices de popularidade do prefeito de Salvador, ACM Neto, e do próprio Rui Costa, apesar dos números alarmantes da Covid-19 na capital e no estado, para entender que a atuação responsável do gestor é o que define, e não os números É bom ter cuidado com o efeito bumerangue, também conhecido lei do retorno. Vai que…

    RODRIGO SEM ADVERSÁRIO

    Mais que essa barulheira de baixo nível da oposição, propagada em programas fuleiros de rádio e blogs de baixo nível, o que se esperava das oposições de Itapetinga era emplacar um bom candidato, para disputar, em condições de igualdade, com o prefeito Rodrigo Hagge. Nem isso a oposição conseguiu e sonha em voltar à prefeitura, por milagre da Covid. Rodrigo segue absoluto e deve impor mais uma derrota vergonhosa a essa turma de malucos, com as mãos nas costas.

    RUSGAS ANTIGAS CONTINUAM NO PT

    As rusgas criadas na gestão petista entre os correligionários de Zé Carlos, continuam mais vivas do que nunca. Podem até se juntar os cacos, por questão de sobrevivência, mas não unem, nem somam. O fator de desunião ainda é o temperamento desagregador de Zé “Pandemia”, uma especie de marionete de Rosemberg Pinto, cuja ficha não caiu e ainda não percebeu que a fila andou. Vai passar vergonha de novo!

  • ESQUERDA DE ITAPETINGA NÃO EMPLACA CANDIDATO
    6 de junho de 2020 | 11:07

    Por mais que o PT e partidos que se dizem de ‘esquerda’ tentem emplacar um candidato para disputar a prefeitura de Itapetinga contra o franco favorito Rodrigo Hagge (MDB), a coisa só anda pra trás, feito caranguejo. No seu perfil no Instagram, o cacique da esquerda local, Rosemberg Pinto (PT), chegou a anunciar que o nome do ex-prefeito Zé Carlos Moura estaria definido, mas coube ao próprio Zé Carlos desmentir, categoricamente: “Eu não falei pra ninguém que vou ser candidato”. Pagou mal e deixou a esquerdinha local com as calças na mão.

    DR. SILVIO QUEIMOU O FILME

    Candidato de si próprio e de um partido insignificante em Itapetinga, o PP, Dr. Silvio Macedo cuidou de enterrar o seu nome, depois do lamentável episódio ocorrido na tarde de ontem no HCR, quando teria negado atendimento a uma paciente com suspeita de Covid-19, com direito a barraco e polícia no local. Silvio, que é coordenador do Pronto Socorro e provedor da Santa Casa, queimou o filme com o eleitorado e com a direção da Fundação José Silveira, que não aprovou a sua atitude. As redes sociais fizeram uma arraso e sepultaram o nome do pré-candidato.  Dizem que nem pra vice emplaca mais.

    DIREITA X ESQUERDA

    Pela direção que a política local tomou nos últimos tempos, as eleições em Itapetinga vão repetir o quadro nacional, com DIREITA X ESQUERDA. Com viés de direita, o prefeito Rodrigo Hagge vem embalado para a disputa, depois de uma gestão eficiente, moderna e equilibrada. À esquerda, a velha política fracassada do PT, sob o comando de um deputado ausente e perseguidor, que usa seus aliados locais apenas para garantir uma base, com vista à sua própria eleição de deputado, daqui a 2 anos. Seu favorito, Zé Carlos, é desagregador e não tem o consenso nem dentro de casa. Perde feio, pois o eleitorado local é conservador e já foi devidamente vacinado contra políticos de esquerda.

  • TARUGÃO PEDIU, O SAC ABRIU
    18 de maio de 2020 | 20:18

    A partir desta-segunda (18), o Ponto SAC de Itapetinga foi reaberto pela Secretaria de Administração da Bahia e funcionará mediante agendamento. O pedido para reabertura do órgão foi protocolado pelo atuante vereador Tarugão (MDB), nas barbas dos vereadores ligado ao governador, cuja estratégia torcer contra e cruzar os braços para atrapalhar a gestão municipal, mesmo sacrificando os interesses da população de Itapetinga. Tarugão capitalizou bem e os governistas perderam pontos importantes junto ao eleitorado. Hê turma ruim de serviço…

  • FOI MEXER LOGO COM OS ‘MANOS’…
    15 de maio de 2020 | 21:16

    Depois de instigar um pequeno grupo de moradores do 12 de dezembro para protestar contra a instalação de um hospital de retaguarda da Covid-19, blogueiro condenado do PT tá colhendo o que não esperava: a revolta dos ‘manos’ da redondeza. Vejam o que rolou nos grupos do zap hoje: “Eu tava conversando com uma moradora do Brogodó agora… Ela disse que os manos lá do bairro disseram que a polícia ficou lá um dia todo e que ninguém apareceu pra fazer tumulto sobre o hospital de campanha… Que só era o cabeludo que tava colocando pilha e que se a polícia ficasse lá de guarda atrapalhando a correria dos manos que o cabeludo que ia cair na ripa”. Bate não, manos…

  • RSSArquivo de Quentinhas & Boas »


WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia