O afundamento assistido do ferry-boat Agenor Gordilho e do rebocador Vega aconteceu na manhã de hoje (21), nas imediações do Yacht Clube da Bahia e tem como objetivo incentivar visa incentivar ainda as atividades de mergulho na região.

Desativado desde o final de 2017, o ferry mais antigo do sistema custava R$ 10 mil mensais ao estado, como afirma o secretário de estadual do Turismo, Fausto Franco.

O ferry Agenor Gordilho, além de caro e ultrapassado, era muito lento de levava quase 2 horas para fazer a travessia Salvador – Itaparica, quase o dobro dos outros ferrys.