Segundo dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE),  a Bahia e Salvador tem tem 1,9 milhões de pessoas na extrema pobreza. Esse dado representa 13,0% da população. O estado se manteve com o maior contingente de pessoas em extrema pobreza do país, e o sétimo maior percentual. O percentual baiano era o dobro do nacional. No Brasil, em 2018, 6,5% da população, ou 13,5 milhões de pessoas, viviam abaixo da linha de extrema pobreza.

Porém, enquanto na Bahia esse percentual teve uma redução em relação a 2017, quando era de 13,7% (2,021 milhões de pessoas), no país houve uma variação para cima (era de 6,4% em 2017, 13,3 milhões de pessoas) e o número de extremamente pobres chegou ao seu maior patamar desde 2012.

Em Salvador, 4,3% da população vivia abaixo da linha de extrema pobreza em 2018, o que equivalia a 124 mil pessoas. Era o 5º maior número absoluto e o 14º maior percentual entre as 27 capitais. Houve uma importante redução nessa proporção em relação a 2017, quando 7,0% dos soteropolitanos viviam na extrema pobreza (199 mil pessoas).