Para marcar as comemorações do mês de março em homenagem às mulheres, a Câmara Municipal de Itapetinga realizou, na noite dessa quinta-feira (14), uma sessão especial em que foi debatida a realidade da mulher brasileira e itapetinguense na atualidade. A iniciativa foi da Mesa Diretora da Casa Legislativa.

Aberto com apresentações culturais de dança e poesia, o evento contou com a participação de autoridades, representantes da sociedade civil e palestrantes especialistas na defesa dos direitos femininos.

Durante a sessão, foram distribuídos laços brancos, que marcam a luta pelo fim da violência contra as mulheres. A presidenta Naara Duarte explicou o objetivo da ação, chamando a atenção do público presente para a necessidade de ampliar a discussão acerca do tema. “Lei Maria da Penha, Lei do Minuto Seguinte, não adiantaria tantas leis se não houvesse conscientização”, avaliou.

Fundadora da Plataforma Jus Mulher, voltada à divulgação de informações jurídicas sobre os direitos das mulheres e o empoderamento feminino, a advogada Joana Rocha falou sobre desafios, conquistas e dificuldades que marcam a luta feminista. “Para uma mulher sair do ciclo de violência, ela precisa tomar as rédeas de sua vida”, afirmou. A palestrante lembrou que a mulher vítima de violência que depende economicamente do seu agressor necessita estar inserida no mercado de trabalho para romper esse ciclo. Nesse sentido, destacou a importância de se investir em capacitação e formação dessas mulheres.

Joana Rocha falou, ainda, sobre o conceito de sororidade, termo usado para expressar empatia entre mulheres. É uma espécie de pacto entre mulheres relacionado às dimensões ética, política e prática do feminismo contemporâneo. E, ao concluir sua palestra, lembrou a frase do famoso desenho, de autoria da artista e tatuadora mineira Thereza Nardelli, que tomou conta das redes sociais há alguns meses: “Ninguém Solta a Mão de Ninguém”.

A delegada do Núcleo de Atendimento à Mulher, Débora Soares, comentou sobre projetos de ampliação do Núcleo, que envolvem a inclusão na equipe de uma investigadora mulher, a aquisição de uma viatura e o sonho de conseguir montar uma Delegacia Especializada de Atendimento à Mulher em Itapetinga, considerada essencial e indispensável para o combate à violência contra a mulher.

Além das palestrantes, também participaram da mesa de debates o vice-prefeito Renan Pereira, o defensor público Mateus Bastos, a secretária de Desenvolvimento Social, Virgínia Brito, a Tenente Juliana Magalhães, Hosana Almeida, representante da APLB Sindicato, e Adenice Chaves, representando a União de Mulheres do Brasil em Itapetinga.