O lançamento precipitado do ex-deputado estadual Heraldo Rocha a prefeito de Macarani, no Médio Sudoeste da Bahia, causou um verdadeiro reboliço nos grupos e partidos de oposição ao prefeito Miller Ferraz, e pode dividir ainda mais os oposicionistas, que já vivem com dificuldades para se entenderem.

Sem um nome de peso e de consenso para 2020, os ex-prefeitos Armando Porto e Nogueira vinham trabalhando pacientemente o nome do vereador Glauber, porém com certa desconfiança, já que o edil ainda não tem musculatura eleitoral suficiente para liderar o pleito, apesar de ser atuante.

Mesmo sendo um nome conhecido na cidade, Heraldo Rocha não é eleitor do município e exerce o cargo de presidente do Diretório do DEM em Salvador, onde sempre residiu e fez política, chegando a se eleger deputado estadual por dois mandatos.

Em Macarani, Heraldo teve boas votações para deputado, mas não se firmou como líder político local com força suficiente para unir as oposições e garantir uma disputa equilibrada no pleito de 2020. Em Salvador faz oposição acirrada ao governador Rui Costa e é visto com desconfiança pelo PP de Nogueira e outros partidos da base governista no estado.

Nos meios políticos de Macarani, há quem afirme que o lançamento de Heraldo é uma “jogada” do ex-prefeito Armando Porto, que ainda sonha em voltar ao poder, sem precisar se unir a Nogueira, apesar de negar ‘de pés juntos’ essa pretensão.

“Jogou o barro pra ver se cola”, afirmou um influente político da cidade ao Sudoeste Hoje.

Por Davi Ferraz