São Paulo e Santa Catarina estão sob ataque do crime organizado. Seria ingenuidade imaginar que a Bahia, recordista em número de homicídios, no país, está fora dos planos da marginalidade. A Secretaria de Segurança Pública precisa estar atenta e preparada. E a população precisa ver policiais na rua, o que hoje é raro (Tribuna).