ITAPETINGA: Uma situação inusitada está ocorrendo na prefeitura de Itapetinga, onde 512 servidores demitidos por órdem judicial, continuam frequentando os seus postos de trabalho, normalmente, como se nada tivesse ocorrido. Parte deles alega que recebeu “contra-ordem” dos secretários para continuarem trabalhando, enquanto outros continuam esperando por uma “comunicação formal” do chefe do executivo, para deixarem o serviço, além de reclamarem o pagamento dos salários de julho, que ainda não receberam.

Enquanto a “ficha” não cai para a maioria dos demitidos e o prefeito cruza os braços como se nada estivesse acontecendo, uma situação jurídica estranha, de consequências imprevisíveis, se instala na prefeitura, com servidores formalmente demitidos exercendo funções públicas, à revelia da lei e da justiça.

Se para os ex-servidores a situação é angustiante, para o prefeito é extremamente perigosa, feito uma “bomba relógio”, prestes a explodir a qualquer instante. Se a situação não for resolvida logo, pode gerar graves consequências administrativas e políticas para o prefeito.

Davi Ferraz