A ideia de terceiro mandato é um risco para o Brasil, pois “fragiliza” o sistema republicano e “reaproxima” o país da monarquia. É como pensa o presidente do TSE (Tribunal Superior Eleitoral), ministro Carlos Ayres Britto.

Em entrevista à Folha ele, que também é ministro do Supremo Tribunal Federal, afirmou: “A república postula a temporalidade e a possibilidade de alternância de poder. Quanto mais se prorroga o mandato, mais o país se distancia da república e se reaproxima da monarquia”.
Não é assim, no entanto, que pensa o deputado federal Jackson Barreto (PMDB-SE), que pretende apresentar até a próxima sexta-feira a proposta de emenda constitucional que prevê um referendo sobre a possibilidade de o presidente Luiz Inácio Lula da Silva concorrer a um novo mandato.