Em declarações oficiais, a direção do PT diz que nada muda e que a ministra Dilma Rousseff continua sendo a candidata.
– Temos certeza de que em no máximo quatro meses ela estará prontinha para a campanha – diz o secretário nacional de Organização do PT, Paulo Frateschi.

Em conversas reservadas, porém, o PT admite que o ressurgimento da tese do terceiro mandato consecutivo para o presidente Lula é mais danoso para a candidatura de Dilma do que a doença.
– O que mais nos prejudica é a volta dessa história de terceiro mandato – diz Frateschi.

Para os petistas, a volta das especulações sobre um novo mandato de Lula passam à população a ideia de que nem o PT acredita na vitória de Dilma.