Em tempos de pandemia, a prefeitura de Itapetinga tem se preocupado com pessoas vulneráveis, em situação de rua, com poucas condições de cuidarem da saúde. Na tarde desta sexta-feira, 22, as equipes das Secretarias de Desenvolvimento Social e de Saúde se reuniram para definirem planos de acolhimento dessa população.

Desde abril, a prefeitura executa ações de proteção e amparo. Após reunião com a Defensoria Pública, a Secretaria de Desenvolvimento Social, em parceria com igrejas e associações municipais, vem catalogando as pessoas e distribuindo três refeições diárias. Além disso, as equipes de saúde mental e do CREAS vêm prestando atendimento e apoio, inclusive, para regularização de documentos.

Agora, após liberação de verba federal, a secretaria organiza local para acolhimento desse público. O valor de R$ 284.000,00, disponibilizado no dia 08 deste mês, serão destinados para a compra de EPI, alimentação e para estruturar local e formas de acolhimento.

“Nós temos o plano de ação, chegamos a iniciar as cotações para compras diretas, mas buscando manter isonomia e transparência no trato com o erário público, o nosso gestor sugeriu que continuássemos a fazer as compras através de licitações”, falou a Secretária Virgínia Brito ao afirmar que na próxima semana o local para alojar esses andarilhos estará pronto.
A estrutura para montar essa espécie de alojamento é grande. Serão 10 profissionais, entre seguranças, serviços gerais, cuidadores, assistente social, psicólogo e enfermeiros. A prefeitura irá contratar e capacitar a todos e estabelecer um protocolo para funcionamento do local que será montado no Ginásio de Esportes.

Além disso, será necessária a compra de roupas de cama e banho, lavadora de roupas, material higiene pessoal e limpeza, armários e de tudo mais para montar um dormitório capaz de acolher de forma humanizada e, acima de tudo, humanizada, cuidando de todos os itapetinguenses.