A Fundação Dr. Jesus, propriedade do deputado federal baiano Pastor Isidório (Avante), foi alvo de denúncia de maus tratos como castigos físicos, racionamento de comida, segregação e repressão sexual e doutrinação religiosa interferindo nos cuidados médicos.

Em reportagem veiculada pelo Fantástico, Isidório aparece dando declarações associando pessoas transgênero a práticas diabólicas.

“Você deixou o diabo lhe enganar. Você deixou o médico cortar seu pé de sofá. Ela só pensa que tem bilau. O diabo diz ao homem que ele pode ser mulher, aí ele se veste todo, bota silicone”, afirma em vídeo.