O surto de Covid-19 em uma empresa de energia no município de Itapetinga, localizado no sudoeste baiano, está sendo investigado pelo Ministério Público do Trabalho. Mais de 160 funcionários de um canteiro de obras administrado pela empreiteira Tabocas, que faz montagem de torres de retransmissão de energia, testaram positivo na semana passada. O MPT abriu inquérito para acompanhar a adoção das medidas de contenção do surto e solicitou imediata inspeção pelas equipes do Cerest.

De acordo com a Prefeitura, cerca de 300 empregados da Tabocas foram submetidos a testes rápidos na segunda-feira (29) e 169 deles tiveram resultado positivo. A testagem foi determinada pelas autoridades de saúde municipais após dois trabalhadores que integravam o grupo testarem positivo na semana passada. Após o registro de que mais de 60 casos positivos no canteiro da cidade de Macarani, que fica perto de Itapetinga, a prefeitura exigiu os exames para que a empresa pudesse voltar a funcionar. A Tabocas havia informado que todos os alocados para Itapetinga tinham testado negativo.

O MPT vai enviar recomendação à empresa com as medidas necessárias para salvaguardar a segurança dos empregados e da sociedade e para a gestão do surto entre seus colaboradores. O órgão busca saber se houve negligência por parte dos gestores em relação a medidas de prevenção e controle da pandemia. A ação fiscal que o Cerest realiza na Tabocas trará os elementos técnicos para instrução do inquérito e a empresa também será convocada a prestar esclarecimentos e fornecer informações.

A Prefeitura de Itapetinga deve determinar a suspensão das atividades da Tabocas por 30 dias. Até o domingo (28), a cidade tinha 196 casos confirmados de covid-19. Agora, o número de casos da doença na cidade subiu para 374. Já houve 11 mortes causadas pela doença.