Contam alguns políticos de Itororó, que durante o seu mandato como prefeito da ‘Terra da Carne de Sol’, o petista Adroaldo Almeida contou com o apoio incondicional do então deputado federal Geraldo Simões (PT), que ainda teria lhe dado emprego depois que este perdeu as eleições e saiu da prefeitura de mãos abanando, sem um tostão furado no bolso.

Como na política nada é dado, e sim emprestado, Geraldo Simões retorna agora como candidato a deputado estadual, para cobrar de Adroaldo e aliados do PT a antiga fatura, com juros e correção monetária, em forma de apoio político e votos.

A questão é que Adroaldo agora é cabo eleitoral de Rosemberg Pinto (PT), que vive às turras com Geraldo e diz que não quer saber do concorrente furando seu reduto, alegando que “o município de Itororó ainda é produtor de cacau (clonado) e não pode mais ser contaminado pela vassoura de bruxa, como no passado”. 

Nessa briga besta por espaço político, quem ‘leva o chocolate clonado’ é o pobre do eleitor.

Por Davi Ferraz